Mulher empreendedoraOlá! Hoje resolvi falar sobre algo que muitos conhecidos me perguntam e têm curiosidade: como é trocar o CLT por um negócio próprio. Para quem ainda não me conhece, há pouco mais de dois anos saí do meu emprego em comunicação corporativa (jornalismo) para me dedicar à minha própria empresa de artigos personalizados para festas.

Antes mesmo de sair do meu emprego, eu já estava trabalhando nessa ideia própria no meu tempo livre. Fiz um site, me cadastrei em marketplaces como Elo7, Mercado Livre etc para divulgação dos produtos e me joguei. Eu já havia feito esses tipos de produtos no passado, antes de começar a trabalhar com jornalismo, e sentia muita falta, pois sempre gostei de trabalhar com criação de artes. No começo, foi bem fácil para conciliar o trabalho com essa atividade paralela, pois vender online sempre demora um pouco para engrenar, já que é preciso construir uma reputação, ter avaliações positivas, melhorar a indexação do site em buscadores e tudo mais.

Porém, depois de seis meses, minha vida estava de ponta cabeça. Eu chegava em casa tarde, já que meu trabalho era relativamente longe de casa, comia algo rapidinho e ficava até cerca de 2h da manhã para dar conta. Com o tempo, meu marido precisava me ajudar e colocar a mão na massa também. Foi aí que percebi que não daria mais para fazer as duas coisa em paralelo, eu tinha que optar por uma. E a decisão foi investir no meu próprio negócio.Quis colocar aqui o que julgo ser as vantagens e desvantagens de se trabalhar por conta, claro que tudo é apenas minha opinião, ok?

Vantagens:
– Trabalhar em algo seu sempre dá uma motivação maior pelo carinho que se tem pelo próprio negócio. Trabalhar até mais tarde, num sábado ou algo do tipo deixa de ser um “fardo” porque se sabe que aquilo está sendo feito por algo seu.
– Ser dono do seu próprio tempo: entendam, quando digo isso não quero dizer que temos todo o tempo livre do mundo. Pelo contrário, principalmente quando se fala de uma empresa pequena, normalmente se trabalha muito mais do que sendo funcionário CLT. Porém, quem faz o seu tempo é você. Pelo fato de se ter clientes e tudo mais, sempre é importante ter uma padronização mínima de horários, mas em um dia de uma necessidade, se for preciso tirar a manhã para algo e depois finalizar o que ficou em aberto à noite, por exemplo, é sempre uma possibilidade.
– Por ideias em prática: quando somos funcionários, podemos levar qualquer ideia a quem quer que seja nosso superior, mas nem sempre elas são acatadas, não é? Sendo dono do seu próprio negócio, você pode soltar a criatividade e colocar tudo em prática, só depende de você.
– Quem escolhe o local de trabalho é você: hoje em dia é um sonho quando conseguimos trabalhar perto de casa né? Para mim, essa foi uma das questões que pesou muito na minha decisão, pois sempre só conseguia trabalho bem longe . Trabalhando por conta fica bem mais fácil!

Desvantagens:
– Como mencionei já acima, normalmente a carga de trabalho acaba sendo maior. São muitas responsabilidades, burocracias, processos administrativos, e mesmo que se tenha funcionários, sempre quem coloca mais a mão na massa é o próprio empresários (claro, em caso de pequenas e médias empresas, acho que em uma empresa grande isso talvez seja diferente).
– O único (ou maior) responsável pelas tomadas de decisões é você mesmo. Se isso pode ser algo bom em alguns casos, em outros é bem complicado. Sabe quando tem aquela bomba no trabalho e vamos pedir um “help” àquela pessoa que está no comando para saber qual a melhor solução? Na sua própria empresa, a única pessoa que pode te ajudar nesses casos é você mesmo. Com o tempo, fica mais fácil, mas no começo pode ser uma grande dor de cabeça.
– Muitas burocracias: quando se é contratado para fazer um trabalho, normalmente quase toda a carga de trabalho é daquela função específica. Quando se é empreendedor, é preciso entender e fazer um pouco de tudo, seja contabilidade, recursos humanos, legislação, enfim, é todo um mundo novo que temos que lidar no dia a dia.

Enfim, é bem trabalhoso e desgastante, mas também é bem gratificante. Claro que nunca temos como ter certeza do dia de amanhã e ainda não sei o que o futuro me reserva, porém não me vejo mais voltando à trabalhar como funcionária de alguma outra empresa.

O que vocês acham? Se arriscariam (ou já se arriscaram)?

10 COMENTÁRIOS

  1. Ei Mari,

    Acho que precisa de coragem para fazer o que você fez! O risco é enorme, porque um mês pode ser lucrativo no outro não, e as contas não diminuem. Tem que ter coragem e realmente fazer um pouco de tudo, para se integrar de novas tecnologias e se firmar no mercado.
    Para mim não funcionaria, não tenho nada assim também que tenho vontade de me dedicar como negócio (resenhar não da $ infelizmente hehe). Mas eu trabalho na mesma empresa tem 13 anos, gosto daqui, nunca tive vontade de sair, então acho que a perspectiva é bem diferente.
    Tenho algumas amigas que fazem isso e estão gostando muito da mudança.
    bjs

    • É algo bem complicado mesmo, conheço muita gente também que não teria essa coragem. Seria muito bom receber salário para ler e fazer blog né? Também adoraria, mas fica só no hobby mesmo. Beijos

  2. Vim retribuir a visitinha feita no meu blog e me deparo com esse blog lindoooo!!!

    Como eu estou desempregada, acabo fazendo coisas por fora pra ajudar na renda familiar. Mas pretendo conseguir um emprego rss, porém confesso que estou adorando "trabalhar" em casa.

    Beijos
    Thaís Xavier

    Ob.: Sei que manter um blog não é fácil, mas gostaria de ver mais postagens suas rss.

    • Thaís, trabalhar em casa é gostoso mesmo. Por que não aproveita e investe em algo próprio? Pode acompanhar por aqui que estou fazendo posts novos quase todos os dias!
      Beijos e obrigada pela visita

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here